A QUESTÃO DA NATUREZA SOB UMA PERSPECTIVA DA FILOSOFIA DO DIREITO: UMA ABORDAGEM MARXISTA/ LA CUESTIÓN DE LA NATURALEZA DESDE UNA PERSPECTIVA DE LA FILOSOFÍA DEL DERECHO: UN ENFOQUE MARXISTA

Enoque Feitosa Sobreira Filho

Resumo


Resumo: A pretensão deste ensaio é abordar as possibilidades teóricas e práticas de um exame marxista da questão da preservação da natureza enquanto direito humano. O pano de fundo são as relações entre países centrais, tomando o Brasil enquanto parte da América Latina, na medida em que visa desmistificar a estratégia de se defender políticas de decrescimento para os países em desenvolvimento enquanto que, paralelamente, os países ditos desenvolvidos são os maiores poluidores do planeta. Para dar conta de tal objetivo se usa, metodologicamente, categorias do método histórico-dialético. A hipótese é pela aptidão desse campo para criticar uma matriz ambiental que, em nome de suposta defesa da natureza, termina por legitimar um discurso que condena os demais países a travar as próprias possibilidades de desenvolvimento. Do ponto de vista teórico visa, com suporte em pesquisa bibliográfica e literatura específica, apontar para a especificidade do debate da natureza em Marx.

Palavras-Chave: Marxismo; Desenvolvimento; Marx e a questão da natureza; Crescimento; Necessidades sociais.

 

Resumen: La pretensión deste ensayo es abordar las posibilidades teóricas y prácticas de un examen marxista de la cuestión de la preservación de la naturaleza como derecho humano. El transfondo son las relaciones entre países centrales, tomando a Brasil como parte de América Latina, en la medida que pretende desmistificar la estrategia de defenderse políticas de decrecimiento para los países en desarrollo mientras que, paralelamente, los países dichos desarrollados son los los mayores contaminadores del planeta. Para dar cuenta de tal objetivo se utiliza, metodológicamente, categorías del método histórico-dialéctico. La hipótesis es por la aptitud de ese campo para criticar una matriz ambiental a cual, en nombre de supuesta defensa de la naturaleza, termina por legitimar un discurso que condena a los demás países a frenar las propias posibilidades de desarrollo. Desde el punto de vista teórico, con apoyo en investigación bibliográfica y literatura específica, apunta a la especificidad del debate de la naturaleza en Marx.

Palabras-Clave: Marxismo; Desarrollo; Marx y la cuestión de la naturaleza; Crecimiento; Necesidades sociales.


Palavras-chave


Marxismo e desenvolvimento. Marx e a questão da natureza. Crescimento e necessidades sociais

Texto completo:

104-121

Referências


ADORNO, T. W. O ensaio como forma. In: Notas de literatura I. São Paulo: Edições 34, 200

BENTON, Ted (Editor). The greening of marxism. New York/London: Guilford Press, 1996

DUARTE, Rodrigo. Mimesís e racionalidade. São Paulo: Loyola, 2003

_____. Marx e a natureza em o capital. São Paulo: Loyola, 1986.

ENGELS, F. Anti-Dühring. São Paulo: Boitempo, 2015

_____. Part played by labour in transition from ape to man. In: Marx & Engels Collected works, vol. 25 (Engels). London: Lawrence & Wishart, 2010

_____. A situação da classe trabalhadora na Inglaterra. São Paulo: Boitempo, 2010

_____. El problema de la vivenda y las grandes ciudades. Barcelona: G. Gili, 1977

FEITOSA, Enoque. Cidadania, Constituição e desenvolvimento: a tensão no direito entre promessas formais e as demandas por sua concretização. In: Revista jurídica. Volume 4, nº 45. Curitiba: UNICURITIBA, 2016, p. 34-39. DOI: 10.6084/m9.figshare.4619983

GUASTINI, Ricardo. Marx: Dalla filosofia del diritto alla scienza della società. Bologna: Il Mulino, 1974

HEGEL, G. W. F. Ciencia de la lógica. Buenos Aires: Solar, 1968

_____. Enciclopédia das ciências filosóficas em epitome (vol. 1). Lisboa: 1973, Edições 70

KAUTSKY, K. A questão agrária. São Paulo: Proposta, 1980

_____. A origem do cristianismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

LENIN, V. I. La cuestión agraria y los críticos de Marx”. In: Obras completas, tomo 5 (maio 1901-Fevereiro 1902). Madrid: Akal, 1976

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. The German Ideology - Critique of Modern German Philosophy according to Its representatives Feuerbach, B. Bauer and Stirner, and of German socialism according to Its various prophets. In: Marx & Engels Collected works. London: Lawrence & Wishart, 2010, Volume 5 (1845-47).

_____. MARX, K. Diferencia entre la filosofía de la naturaleza de Demócrito y la de Epicuro. Buenos Aires: Gorla, 2013

_____. Capital (Book III). In: Marx & Engels Collected works, vol. 37. London: Lawrence & Wishart, 2010

MARX, K. Capital: A Critique of Political Economy (Book 1). Preface to the First German Edition. In: Marx & Engels Collected works, vol. 35. London: Lawrence & Wishart, 2010

_____. Capital: A Critique of Political Economy (Book 1). Preface to the First German Edition. In: Marx & Engels Collected works, vol. 35. London: Lawrence & Wishart, 2010

MARX, K.O capital (livro 1, tomo 2). São Paulo: EAC, 1984

_____. Capital: A critique of political economy (vol. 1, book 1). Moscow: Progress publishers, 1981

_____. Manuscritos economicos-filosoficos. México: Grijalbo, 1977

MARX, K. A nacionalização da terra (publicado no ‘The International Herald’ nº 2, 15.06.1872). In: Marx & Engels: Obras escolhidas - 3º volume. Lisboa/Moscou: Progresso, 1972

_____. Das Kapital. Berlin: Dietz Verlag, 1962, B. 23

MORAES, J. Q. O trabalho, adaptação seletiva: rompendo um círculo vicioso. In: Materialismo e evolucionismo II: a origem do homem (Org.: João Quartim de Moraes). São Paulo: FAPESP, 2011

SCHMIDT, A. El concepto de naturaleza en Marx. Madrid: Siglo XXI


Apontamentos

  • Não há apontamentos.